Você não está logado
Entrar | Cadastrar

Informativo

Cadastre seu email e receba as notícias do PPS





Seja um Filiado

O Globo: Manifestantes pró-impeachment de Dilma se algemam a pilastra no salão verde




Publicado em 29/10/2015

Descrição:

Ativistas contra e pró governo se enfrentam no Congresso

Evandro Éboli

A quarta-feira no Congresso teve de algemados no interior da Câmara a confronto com socos e pontapés entre sem-teto e manifestantes pró-impeachment do lado de fora do Parlamento. Houve até acusações de militantes espetando seus opositores com um palito de dente.

No Salão Verde da Câmara, um grupo de oito integrantes de movimentos que pregam o afastamento da presidente Dilma Rousseff se algemou numa das pilastras. Sentados no chão, eles se algemaram uns aos outros. O grupo diz que só deixará o local quando o presidente Eduardo Cunha aceitar a abertura do processo contra Dilma.

Briga no gramado

Os manifestantes integram a Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos, que reúne 42 grupos que defendem o afastamento de Dilma. Eles protocolaram uma carta na Vice-Presidência da República e na liderança do PMDB cobrando uma postura do partido sobre o impeachment. "Estamos atentos à conduta de Vossas Excelências. Não sejam omissos, honrem os seus mandatos e o passado do PMDB, sob pena de serem punidos com a execração pública", diz a nota.

Do lado de fora, no gramado do Congresso, cerca de 120 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) decidiram acampar ao lado dos manifestantes do Movimento Brasil Livre (MBL), que já estavam acampados naquele lugar desde quinta-feira da semana passada. Os dois grupos passaram a trocar ofensas. O confronto, inicialmente apenas de gritos e palavras de ordem, virou bate-boca e agressão física. Os sem-teto soltaram rojões e levaram faixas contra a aprovação da Lei Antiterrorismo, que estavam ontem na pauta de votações do Congresso. O coordenador do MTST, Eduardo Borges, afirmou que, se o MBL pode ficar ali, eles ficarão também. E disse que o grupo é contra o impeachment de Dilma, justo a bandeira do MBL.

- Viemos aqui ficar na nossa. Não queremos briga, mas não vamos aceitar provocação - disse Borges.

Uma militante política de esquerda, sem ligações com o MTST, atuou ao lado dos sem-teto e foi acusada pelo pessoal MBL de agredir as pessoas com um palito de dentes. Num vídeo do movimento, um rapaz aparece com pequenas manchas de sangue e acusa a militante de feri-lo. A mulher, que estava com um palito na mão, negou o fato e foi afastada do grupo pelo deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA).

O confronto entre manifestantes foi parar no plenário da Câmara. Vários deputados de oposição acusaram os sem-teto de terem sido insuflados pelo líder do PT, Sibá Machado. Anteontem, quando foi esticada uma faixa "Fora Dilma" nas galerias, o petista disse que haveria troco.

Cunha afirmou que as confusões que ocorrem do lado de fora da Câmara não são responsabilidade da segurança da Casa. Mas foi ele quem autorizou o grupo do MBL a acampar no gramado, o que é proibido por um ato do Congresso de 2001.

Um grupo de deputados da oposição apareceu no lado de fora da Câmara e tentou intermediar uma trégua. Foi traçada uma faixa limite, que os dois lados deveriam respeitar.

Até ontem à noite, os algemados permaneciam no Salão Verde. Eles integram diversos grupos anti-Dilma, que têm nomes variados, como "Eu quero Lula na cadeia", "Céu Azul", "Eu amo o Brasil" e "Brava gente brasileira".







Avalie este conteúdo
Se você achou esse conteúdo interessante deixe seu voto clicando no botao "gostei". Os conteúdos melhor avaliados ficam em destaque para os outros usuários.


Este conteúdo tem 631 visitas

Para votar, você precisa estar logado no site.


Deixe seu comentário
Bloqueado
É preciso estar logado para deixar um comentário.
Clique aqui, cadastre-se e participe!!


Este conteúdo tem 0 comentário(s)


Programas


PPS Nacional









Caso seja mais de um amigo, separe os emails por vírgula.

Para votar, você precisa estar logado no site.


Desenvolvimento: RBW Comunicação | Hospedagem e Manutenção:Núcleo de Tecnologia do PPS
© Partido Popular Socialista - PPS (2008)